Reintrodução – tentativa de restabelecer uma espécie numa área na qual ela já foi comum, mas encontra-se extinta atualmente


Download 445 b.
Sana02.01.2018
Hajmi445 b.



Definição de termos (IUCN)

  • Reintrodução – tentativa de restabelecer uma espécie numa área na qual ela já foi comum, mas encontra-se extinta atualmente

  • Restabelecimento – quando há sucesso na reintrodução

  • Translocação – mudança de animais de um determinado local da sua área de ocorrência para outro local dessa área

  • Revigoramento (Suplementação/Reforço) – adição de animais de uma determinada espécie a uma população já existente dessa mesma espécie

  • Introdução de Conservação ou Introdução Benigna – tentativa de manter uma espécie fora de seu habitat natural para sua conservação, mas numa área parecida com a da área natural de ocorrência dessa espécie



Propósito:

  • Propósito:

    • Estabelecer uma população selvagem de uma determinada espécie, subespécie ou raça que tenha se tornado extinta local ou globalmente
    • A reintrodução deve ser feita numa área que faz parte da sua área natural de ocorrência e requer um mínimo manejamento de longo prazo


Objetivos:

  • Objetivos:

    • Aumentar o tempo de sobrevivência das espécies
    • Restabelecer espécies-chaves no ecossistema
    • Manter e/ou restaurar a biodiversidade
    • Prover benefícios de longo prazo para as economias locais e nacionais
    • Promover a consciência da importância da conservação














Diretrizes para Reintrodução de Animais da IUCN/SSC

  • Diretrizes feitas devido ao crescimento da prática de reintrodução de animais

  • Necessidade para garantir o sucesso da prática

  • Não representa um código obrigatório de ação

  • Muitas das ações de reintrodução de espécies de animais e plantas falham, poucas dão resultado positivo



Atividades Pré-Projeto - Biológicas

  • Estudo da possibilidade de reintrodução de espécies numa determinada área e do histórico dessa área

  • Reintrodução Prévia

  • Escolha do ponto e tipo de Soltura

  • Avaliação da área de reintrodução

  • Viabilidade para soltura do estoque (indivíduos) apropriado

  • Soltura de indivíduos de cativeiro



Atividades Pré-Projeto – Requerimentos legais e sócio-econômicos

  • Requer financiamentos e suporte políticos de longo prazo

  • Estudo do impacto para a população humana local

  • Conscientização da população humana local para a importância da preservação

  • Analisar impactos das atividades humanas locais para a espécie a ser reintroduzida

  • Seguir as leis dos países/estados/municípios onde a reintrodução ocorrerá

  • Buscar assistência e permissão para o governo local

  • Atenção especial para espécies “perigosas” e migratórias



Planejamento, Preparação e Soltura

  • Autorização do governo local e dos proprietários da terra onde será feito o projeto

  • Coordenação com organizações conservacionistas nacionais e internacionais

  • Formação de uma equipe multidisciplinar para por em prática o projeto nas suas diferentes fases

  • Assegurar fundo adequado para todas a fases do projeto

  • Desenvolver projetos de monitoramento pré e pós-soltura

  • Analisar saúde dos indivíduos a serem soltos e de animais de espécies próximas presentes no local



Planejamento do transporte necessário dos indivíduos para o país e local onde se dará o projeto

  • Planejamento do transporte necessário dos indivíduos para o país e local onde se dará o projeto

  • Determinação da estratégia de soltura

  • Estabelecimento de normas ou intervenções

  • Desenvolvimento de projetos de educação ambiental, treinamento profissional e envolvimento da população local no programa

  • Manter o bem-estar dos animais a serem soltos com tratamento e cuidados necessários



Atividades Pós-Soltura

  • Monitoramento de todos os indivíduos (ou uma amostra deles) após a soltura

  • Promover estudos demográficos, ecológicos e comportamentais da espécie reintroduzida

  • Investigação das mortalidades e coleta dos indivíduos mortos para estudo

  • Intervenções, se necessárias

  • Decisões para revisão, reprogramação ou descontinuação do projeto, se necessárias

  • Proteção do habitat ou recuperação de áreas, se necessárias

  • Manutenção de projetos de educação ambiental ligados a população local e a mídia

  • Avaliação do sucesso do projeto e da técnica utilizada

  • Publicar artigos em revistas científicas ou populares com os resultados



Situação das Aves no Brasil

  • Brasil – uma das maiores riquezas de avifauna do mundo

  • Importância em relação a investimentos para conservação

  • Pressão do tráfico de animais silvestres



Diretrizes da Sociedade Brasileira de Ornitologia



Passo 1

  • Flagrante – animais soltos onde é feita a apreensão

  • Em outros casos de apreensão – animais encaminhados ao CETAS (Centro de Triagem de Animais Silvestres) ou outros órgãos receptores, como zoológicos

  • Divisão dos animais em:

    • Animais com problemas de conservação (ameaçados)
    • Outros:
      • Excedentes
      • Animais menos comuns de interesse para cativeiro
      • Animais acidentados/debilitados




Passo 2

  • Lei n° 5197/67: “animais de quaisquer espécies, em qualquer fase do seu desenvolvimento e que vivem naturalmente fora do cativeiro, constituindo a fauna silvestre, bem como seus ninhos, abrigos e criadouros naturais são propriedades do Estado”

  • Portaria n° 230/02: determina que o IBAMA é o órgão responsável pela destinação da fauna apreendida no Brasil

  • Aves encaminhadas ao CETAS mais próximo

    • Realização de procedimentos básicos
    • Destinação da ave o mais rápido possível


No CETAS o animal deve receber uma marcação individualizada e ser cadastrado (formando um banco de dados do IBAMA)

  • No CETAS o animal deve receber uma marcação individualizada e ser cadastrado (formando um banco de dados do IBAMA)

  • Importância de guias de identificação com base na plumagem da ave

  • Atenção especial a animais da fauna incluídas em lista de espécies ameaçadas nacionais ou regionais





Passo 3 e 4

  • Passo 3 – espécie que se encontra em alguma lista de espécies em extinção seguem o passo 4

  • Passo 4:

    • CERAS (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres) – reabilitação das aves com intuito de retorná-las à natureza; encaminhamento para programas de conservação específicos ou criadores científicos e/ou conservacionistas


Passos 5 e 6

  • Passo 5:

    • Programa de conservação da espécie:
      • Recomposição do status populacional da espécie
      • Servir como matriz
      • Encaminhamento para soltura
      • Tem que ter um quadro técnico de ornitólogos
  • Passo 6:

    • Quando não há nenhum programa de conservação os animais são enviados a criadores científicos e/ou conservacionistas
    • Animais ficam a espera de futuros programas de conservação para sua espécie


Passo 7

  • Soltura de aves sadias seguindo as previsões do programa de conservação

  • Indivíduo será monitorado junto com a população na qual foi inserido

  • Algumas ações que podem estimular a implantação de programas de conservação:

    • Estimular criadores a participarem de programas de conservação
    • Solicitar aos órgãos de fomento da pesquisa que sejam abertos editais para financiar a implantação e o funcionamento destes programas
    • Realizar conversão de multas ambientais para financiar os programas




Usando marionetes na criação de corvos para reintrodução



Introdução

  • Uso de marionetes parecidas com os adultos da espécie para criar os filhotes

  • No experimento foram usados corvos (Corvus corax)

  • Objetivo de reduzir o imprinting filial e sexual com tratadores humanos – o boneco “cria” o filhote, sem haver contato com os humanos



O imprinting sexual pode se dar no nascimento em algumas espécies

  • O imprinting sexual pode se dar no nascimento em algumas espécies

  • Imprinting sexual correto é importantíssimo para o sucesso de programas de reintrodução



Uso de Corvus corax experimentalmente para seguir com esse método, se fosse bem sucedido com duas espécies criticalmente ameaçadas de corvo: C. hawaiiensis e C. kubaryi

  • Uso de Corvus corax experimentalmente para seguir com esse método, se fosse bem sucedido com duas espécies criticalmente ameaçadas de corvo: C. hawaiiensis e C. kubaryi



Métodos

  • Ovos coletados da natureza

  • Criados todos com humanos até abrirem os olhos

  • Quando abriram os olhos – divididos em 2 grupos:



Tratadores usaram a marionete imitando o comportamento dos pais na alimentação dos filhotes, inclusive com a vocalização de corvos selvagens específica na criação do filhote

  • Tratadores usaram a marionete imitando o comportamento dos pais na alimentação dos filhotes, inclusive com a vocalização de corvos selvagens específica na criação do filhote

  • O grupo com marionetes só via os humanos na limpeza dos recintos, enquanto que o outro grupo via os humanos também na alimentação



Após o período de criação todos os corvos foram removidos para uma grande área para voar

  • Após o período de criação todos os corvos foram removidos para uma grande área para voar

  • Contato com humanos uma vez por dia para receber comida e água e uma vez por mês para cuidados médicos

  • Antes de serem soltos foram aclimatados a área de soltura por 3 semanas



Medidas usadas para quantificar o sucesso da soltura:

  • Medidas usadas para quantificar o sucesso da soltura:

    • Medo dos tratadores antes da soltura
    • Tempo gasto com determinado comportamento durante o período de aclimatação na área de soltura (comportamento social e comportamento vigilante)
    • Tempo para dispersar da área de soltura
    • Taxa de sobrevivência após um ano da soltura


Duas idades de soltura:

  • Duas idades de soltura:

    • Idade de formação de primárias
    • Pós-idade de formação de primárias
  • Comparações entre os resultados levaram em conta a idade, a criação do corvo e as medidas para quantificar o sucesso da soltura



Resultados & Discussão

  • Determinar o efeito da criação diferenciada das aves no sucesso na reintrodução

  • Não houve diferenças com relação ao tempo de dispersar da área de soltura, nem do tempo gasto com comportamentos diferentes, nem para se integrar com indivíduos selvagens e dispersar-se para longas distâncias

  • Porém houve diferença com relação ao medo apresentado aos tratadores humanos



Corvos criados sem a marionete tendem a se dispersaram menos

  • Corvos criados sem a marionete tendem a se dispersaram menos

  • Criar o corvo com a marionete tende a aumentar a sobrevivência pós-dispersão

  • Aparentemente o imprinting filial pode ser modificado nos corvos criados sem a marionete, porém isso não significa falha na reintrodução

  • Não há interferência problemática no imprinting sexual de acordo com outros trabalhos (Hess, 1973; Cade & Fife, 1977; Powell, 1972)



Conclusões

  • O método de escolha pra criar os filhotes depende da espécie

  • Aves precoces que dependem dos pais por um curto período podem necessitar de marionetes para evitar o imprinting errado

  • Aves altriciais podem não requisitar um isolamento excessivo de humanos, pois demoram mais para terem seu imprinting social/sexual

  • O interesse de manter as aves mais próximas da área de soltura pode levar a preferência por criar sem a marionete e vice-versa



























Repatriação, revigoramento e monitoramento de aves silvestres em área de soltura – Tremendal - BA



Metodologia

  • Pré-soltura

  • Seleção de espécies – ocorrência, condições dos animais

  • Contatos e parcerias – instituição receptora, empresa transportadora, colaboradores para materiais

  • Logística e materiais – equipamentos, caixas, alimentação

  • Cuidados técnicos-operacionais – época do ano adequada – primavera-verão – época de frutificação, tempo de viagem, acondicionamento, oferta de água e alimento

  • Animais quarentenados, exames e atestado sanitário + GTA. Após transporte, foram quarnetenados mais 60 dias em Vitória da Conquista









Resultados e Discussão





Conclusão



Área de Soltura e monitoramento de animais silvestres como parte do “Plano de Manejo do Papagaio-de-peito-roxo – Amazona vinacea” – Jacupiranga – SP

  • Local de desenvolvimento do projeto: Parque estadual de Jacupiranga – Vale do Ribeira, São Paulo



Introdução

  • Objetivo: Conservação da espécie, com a implementação do seu Plano de Manejo proposto

  • População atual no parque: 200 indivíduos

  • Restrita ao bioma Mata Atlântica



Metodologia

  • Identificação de áreas de uso

  • Realização de censo populacional

  • Identificação e manejo de ninhos

  • Manejo e monitoramento

  • Centro de apoio e recepção



Manejo da Espécie na Natureza

  • Número de ninhos: 43

  • Número de indivíduos: 200

  • Número de animais recebidos: 6



O caso Amazona barbadensis



Introdução

  • Amazona barbadensis: risco de extinção

  • 5000 indivíduos distribuídos na costa norte da Venezuela e Ilhas adjacentes

  • 1989: programa para recuperação da população da ilha Margarita

  • Filhotes confiscados: ninhos adotivos quando viável

  • Reintrodução em casos particulares



Explorar viabilidade técnica e economica de reintrodução de A.barbadensis alem de dar informações sobre reintrodução de espécies

  • Explorar viabilidade técnica e economica de reintrodução de A.barbadensis alem de dar informações sobre reintrodução de espécies



Área de estudo Peninsula Macanao

  • Área de estudo Peninsula Macanao

  • Clima tropical seco com vegetação composta por muitos cactos e legumes. Também existem florestas permanentes decíduas (importante local de nidificação)

  • Florestas desaparecendo rapidamente





Animais soltos foram localizados por rádio e monitorados atentamente

  • Animais soltos foram localizados por rádio e monitorados atentamente

  • Foram medidos: Tamanho do território, variações no território e tempo de integração e formação de pares permanentes



Sucesso: sobrevivência de mais de um ano após soltura, alimentação e uso do ambiente semelhante ao de papagaios selvagens, integração social

  • Sucesso: sobrevivência de mais de um ano após soltura, alimentação e uso do ambiente semelhante ao de papagaios selvagens, integração social

  • Aviarios ao ar livre: ensinaram como evitar predadores

  • pelo menos 10 entre 12 sobreviveram



Tentativas previas de reintroduzir papagaios tiveram sucesso reduzido: Alta taxa de predação, pouca habilidade de processamento de alimentos, comportamento aberrante

  • Tentativas previas de reintroduzir papagaios tiveram sucesso reduzido: Alta taxa de predação, pouca habilidade de processamento de alimentos, comportamento aberrante

  • Reintrodução possível em areas com populaçoes selvagens residentes



Reintrodução: usualmente mencionado como parte integral de programa de conservação ex-situ. No entanto há pouca implementação e não discute-se fatores sociais, econômicos ou políticos

  • Reintrodução: usualmente mencionado como parte integral de programa de conservação ex-situ. No entanto há pouca implementação e não discute-se fatores sociais, econômicos ou políticos

  • Custo sub-estimado

  • Sucesso: 5 anos de trabalho prévio, educação ambiental. A. barbarensis foi declarado pássaro símbolo do estado

  • US$ 2827,00 por pássaro

  • Cada caso é um caso: Trabalho voluntário, recusa a pagar por consultores terceirizados e baixo custo da gasolina (Venezuela)



Nem todos os animais confiscados puderam ser libertados (critérios utilizados são conservacionistas) evitar dano maior

  • Nem todos os animais confiscados puderam ser libertados (critérios utilizados são conservacionistas) evitar dano maior

  • Resultados podem ser utilizados com diversas populações de papagaios ameaçadas

  • Re-introdução aumenta o pool de genes da espécie

  • Re-introdução: Parte de uma pesquisa ecologica e de educação ambiental

  • Deve-se saber de onde procedem os animais (evita hibridização)

  • Animais originários de comercio ilegal internacional devem ser considerados com cuidado (doenças exóticas).



Realizado em áreas com algum grau de proteção (analise das causas do declínio populacional)

  • Realizado em áreas com algum grau de proteção (analise das causas do declínio populacional)

  • Contribui com educação ambiental

  • Esse trabalho abre um precedente no sucesso em re introdução de papagaios. 20% das 330 sp. de psitacídeos do mundo estão em risco

  • Problemas críticos: predação, existência de uma população selvagem e doenças exóticas



Reintrodução de Otis tarda na Grã Bretanha



Introdução

  • A abetarda (Otis tarda) é uma ave estepária da ordem gruiformes.

  • Decréscimo acelerado da sua população. (previsão de mais de 30% nos proximos 10 anos)

  • Na Europa a sua presença encontra-se limitada à Rússia e à Península Ibérica, em habitats relacionados com a prática de agricultura cerealífera extensiva.



Declínio: perda de habitat, destruição de ninhos, uso de pesticidas, caça e colisão com linhas elétricas

  • Declínio: perda de habitat, destruição de ninhos, uso de pesticidas, caça e colisão com linhas elétricas

  • única especie que se reproduzia regularmente na Gra-bretanha nos ultimos 200 anos e não o faz mais



espécie nativa (ossos de 12.300 anos atras)

  • espécie nativa (ossos de 12.300 anos atras)

  • Evidencia do inicio do declínio 1700.

  • último ano de procriação: 1832

  • Não há evidencia de: doenças, poluição, competição ou predação

  • Causas possíveis: mecanização da agricultura, caçadores e mudança de clima

  • Agricultura mecanizada: ninhos eram expostos e destruidos

  • clima mais frio entre 1550-1700

  • Fatores não operam mais hoje

  • Hoje animais com populações pequenas e poucas visitas a Ingleterra



estepes e pseudo-estepes.

  • estepes e pseudo-estepes.

  • Regiões com habitat propicio ainda existem

  • Expansão demorada da população

  • Salisbury Plain:Área protegida para utilização militar

  • Areas com vegetação rasteira comparadas com o habitat do animal em Portugal e Rússia

  • Areas adjacentes: plantações de cevada

  • pobres em insetos



invertebrados: essenciais para filhotes

  • invertebrados: essenciais para filhotes

  • Areas próximas não cultivadas ricas em artrópodes = solução

  • 1)Terra arável sem manejamento especifico

  • 2)Areas sem agrotoxicos

  • 3)Locais especificos para abetarda

  • Salisburry Plains: nunca foi a melhor área para procriação. Devem ser consideradas outras areas



Pop. Bretã: parte da população do leste europeu

  • Pop. Bretã: parte da população do leste europeu

  • 11 haplotipos diferentes. E a população da Espanha não compartilhava nenhum com o resto da Europa

  • 2 clusters geográficos de populações

  • Só Rússia tem grande numero de aves.

  • Grande numero de ninhos destruídos: praticas de agricultura

  • ovos recuperados podem ser utilizados para re-introdução

  • Dano 0 a pop. doadora



Re-introdução da abetarda e possível sem detrimento a população doadora ou ao ecossistema

  • Re-introdução da abetarda e possível sem detrimento a população doadora ou ao ecossistema

  • Ave também e uma espécie bandeira

  • Experimento importante em termos de estudos de conservação






Do'stlaringiz bilan baham:


Ma'lumotlar bazasi mualliflik huquqi bilan himoyalangan ©fayllar.org 2017
ma'muriyatiga murojaat qiling